Você sabe ler uma tabela calórica?


Com as mudanças nos hábitos alimentares da população e a busca cada vez maior por produtos de qualidade e nutricionalmente adequados, faz-se necessario um entendimento melhor sobre os rótulos destes produtos.

Muitas pessoas olham para a embalagem e se questionam ” E o que isso significa?”. Um conjunto de termos estranhos que muitas vezes passam despercebidos. Portanto, vale a pena entender um pouquinho sobre o assunto e dispensar um tempinho a eles..afinal..são estes termos estranhos que você estará ingerindo.

O rótulo vai orientar o consumidor sobre a quantidade e a qualidade dos constituintes nutricionais do alimento, favorecendo então uma escolha apropriada. Então vamos entender…

Quanto aos ingredientes, eles normalmente aparecem em ordem decrescente, ou seja, o primeiro é o que está presente em quantidade maior. Os produtos devem apresentar pelo menos o dia e o mês quando o prazo de validade for inferior a três meses. O mês e o ano para produtos que tenham prazo de validade superior a três meses. Também deve trazer informação sobre a presença de glúten para facilitar aos pacientes celíacos.

A parte mais questionada é a Tabela de informação nutricional. Esta é obrigatória e vai auxiliar nas escolhas mais saudáveis. Na tabela encontramos:

Porção: É a quantidade média do alimento que deve ser  consumida por pessoas sadias a cada vez que o alimento é consumido. Esta deve ser expressa em medidas caseiras para facilitar o entendimento.

Percentual de Valores Diários (%VD):   número que indica o quanto o produto em questão apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta padrão de 2000 calorias;

Valor energético: É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. No rótulo o valor energético é expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).

Carboidratos: São os componentes cuja principal função é fornecer a energia para as células do corpo, principalmente do cérebro.

Proteínas : Componentes  necessários para construção e manutenção dos  órgãos, tecidos e células.

Gorduras Totais: As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal.

Gorduras Saturadas: Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal.  O seu consumo deve ser moderada, pois em grandes quantidades pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Quando a %VD é alta, significa que o alimento apresenta grande quantidade de gordura saturada em relação à necessidade diária de uma dieta, portanto não é um alimento muito saudável.

Gorduras Trans: Tipo de gordura encontrada em grandes quantidades em alimentos industrializados.  O consumo deve ser muito reduzido, já que o nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e por favorecer o  aparecimento de doenças cardíacas.

Fibra Alimentar: presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. Sua ingestão auxilia no funcionamento intestinal e ainda várias outras propriedades benéficas ao organismo.  Procure consumir alimentos com alto %VD de fibras alimentares!

Sódio:  deve ser consumido com moderação uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Evite os alimentos que possuem alto %VD em sódio. Cuidado com os temperos prontos, salgadinhos e produtos em conserva. Reparem como o valor de sódio nestes alimentos é muito alto! É um item importantíssimo a ser lido, principalmente aos hipertensos!

Além de entender sobre estes termos, é importante saber utilizá-los, portanto a dica é a seguinte:  dê preferência a produtos com baixo %VD para gorduras saturadas, gorduras trans e sódio e produtos com alto %VD para as fibras alimentares.

Eliminar todo o sal, gordura ruim e açúcar da alimentação é uma tarefa impossível de ser colocada em prática. A solução então é saber consumi-los na quantidade certa.

Segundo dados do livro “Guia de Saúde e Longevidade”, nós consumidos, em média, 9g de sal diariamente, sendo que o ideal é menos de 6g. Hoje, apesar de muito maléfico, é comum cada pessoa ingerir quase o seu peso em açúcar a cada ano. E os problemas não param por aí. Quase 14% de todo o nosso consumo de calorias vem degorduras nocivas, enquanto o nível saudável seria de 6%.

E já que muitos desses ingredientes estão ocultos em alimentos industrializados, é importante aprender a interpretar suas tabelas nutricionais. Siga a explicação abaixo e tenha uma vida mais saudável:

BAIXO (a cada 100g) MÉDIO (a cada 100 g) ALTO (a cada 100 g)
Gordura 0 g a 3 g Entre 3 g e 20 g Mais de 20 g
Gordura saturada 0 g a 1,5 g Entre 1,5 g e 5 g Mais de 5 g
Açúcares totais 0 g a 5 g Entre 5 g e 15 g Mais de 15 g
Sal 0 g a 0,3 g Entre 0,3 g e 1,5 g Mais de 1,5 g

Fontes:  ANutricionista.Com – Tatiane Trevilato de Brito – CRN3 26450 e Livro “Guia de Saúde e Longevidade” / Food Standards Agency

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: